Question posted by Anónimo on 06 December 2012

Bom dia,

Namoro com um rapaz á 5 meses, ele é HIVpositivo mas só descobriu quando iniciamos a relação. Aconteceu logo no inicio termos sexo desprotegido antes de ele proprio saber... (estupidos e inconscientes eu sei...), tendo sido eu o recetivo. Desde então já fiz 2 exames, tendo sido o segundo no periodo de janela, ambos deram negativo. Continuo com ele, tendo consciencia da sua doença e dos seus perigos, tenho assim algumas perguntas, para que possa ter uma relação estavel e saudável com ele, nós fazemos sexo anal sempre protegidos, sem excepção:

1- Qual é o perigo/probabilidade de eu estar infetado mesmo tendo dado negativo nos exames?

2- Sexo oral, sei que o perigo é reduzido embora nao impossivel, existe mais perigo se for eu a fazer oral a ele? existe mais perigo se ouver ejaculação?

3- ele começou logo no inicio, a fazer uma série de exames, embora ainda nao tenha recebido nenhuma medicação. é normal? não deveria ele estar a receber algum tipo de tratamento?

4- existem épocas de maior contágio/perigo?

5- no caso de existir ruptura de preservativo o que devo fazer? já li algo sobre profilaxia, o que é isso e onde fazer?

peço desculpa por fazer tanta pergunta mas quero estar 100 esclarecido. obrigado.



Answer posted by Maria J. Aleixo on 25 December 2012

Apesar do atraso na resposta, vou tentar fazê-lo de forma clara, na sequência das questões.
1- Deve repetir o teste 12 semanas após o contacto não protegido e, se negativo, pode confiar no resultado;
2- Relativamente a sexo oral, o risco é realmente muito reduzido mas existe e é maior se houver ejaculação; o preservativo deve também ser usado;
3- A avaliação e estadiamento da infecção é sempre o ponto de partida para definição da estratégia indicada; há orientações estabelecidas internacionalmente, e agora também portuguesas, que são utilizadas para o início de tratamento; baseiam-se nos sinais e sintomas, nos valores de linfocitos T CD4+, na existência de patologias associadas e, por vezes, tabém na carga viral de VIH;
4- As fases da infecção em que o risco de transmissão é maior coincidem geralmente com elevadas cargas virais - fase inicial, fases muito avançadas (em que o organismo já não consegue controlar minimamente o vírus) e quando há intercorrências infecciosas importantes (exº gripe, pneumonia, tuberculose...);
5- Se houver ruptura de preservativo deve dirigir-se rapidamente a uma Urgência hospitalar para avaliação do risco e eventual início de profilaxia antirretroviral.

Os meus cumprimentos
Maria João Aleixo